Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Proteção ao cidadão é foco da 2ª Operação Integrada Metropolitana

Operação reúne aproximadamente 900 agentes, com cerca de 300 viaturas, um helicóptero e 30 cavalos

Publicação:

Operação Integrada Metropolitana
Operação Integrada Metropolitana - Foto: Rodrigo Ziebell/SSP
Por Carlos Ismael Moreira/SSP

A 2ª edição da Operação Integrada Metropolitana, com a mobilização conjunta de todas as forças de Segurança Pública do Estado, foi deflagrada na tarde quinta-feira (14) em 34 municípios da Região Metropolitana. Quase 900 agentes, com cerca de 300 viaturas, um helicóptero e 30 cavalos estão atuando em 157 pontos, com foco na repressão de potenciais delitos com impacto direto na vida dos cidadãos como roubos, furtos e roubo de veículos.

A operação, coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada da Região Metropolitana de Porto Alegre (GGIMPOA) dentro do programa RS SEGURO, planejou uma série de barreiras de trânsito, patrulhamento intensivo e ações de abordagens em áreas comerciais, proximidades de agências bancárias e paradas de ônibus. O objetivo é a repressão qualificada por meio de saturação de efetivo em pontos estratégicos e com indíces de criminalidade mais elevados. Há ainda presença de agentes em áreas vulneráveis à atuação do tráfico de drogas.

“Todo crime que afeta a vida direta do cidadão, como crimes patrimoniais, roubos e roubos de veículos, inclusive o controle de materiais ilícitos em veículos de carga, depende de mobilização para seu combate. É o que fazemos aqui, dentro dos eixos de planejamento do programa RS Seguro”, esclarece o coronel Marcelo Gomes Frota, secretário adjunto da Segurança Pública.

A mobilização desta quinta-feira reúne servidores estaduais, da Brigada Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RS), do Instituto-Geral de Perícias (IGP), da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam), mas também de outras esferas, como Guardas Municipais, agentes de trânsito e de fiscalização dos municípios da região, equipes de organismo federais como o Exército, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Força Nacional de Segurança Pública.

Durante as barreiras, o aposentado Paulo Lazuta, morador do bairro Ipiranga, elogiou a ofensiva. "Acho excelente esse tipo de ação aqui no bairro. Temos um grupo de segurança no whatsapp e o pessoal todo achou muito bom. Se tem a presença da polícia aqui, eles (criminosos) não vem. Muito bom ver a Brigada, Polícia, Perícia, Bombeiros e EPTC, todo mundo trabalhando junto", relatou o morador. 

A primeira edição da operação, realizada na última sexta-feira (8), resultou em 123 prisões e na apreensão de 25 armas e 70 munições, além de coletes e rádios comunicadores. Ainda foram recolhidos 22 kg de drogas e 100 balanças de precisão. A mobilização também apreendeu 67 veículos, além de mais de R$ 70 mil em dinheiro sem comprovação de origem. Na primeira edição da operação, foram empregados mais de 1,5 mil agentes, quase 800 viaturas e três helicópteros, distribuídos em cerca de 200 pontos dos municípios que fazem parte do GGIMPOA.

Também foram realizadas 188 vistorias pelas equipes de fiscalização do Corpo de Bombeiros e do Exército, além de diversas autuações feitas por órgãos de outras esferas do poder público municipal, estadual e federal. Em barreiras de trânsito, foram 3.152 veículos vistoriados e 4.647 pessoas abordadas pelos efetivos de Brigada Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal.

Os órgãos envolvidos, dentro do planejamento e execução da operação, também interagem com os demais órgãos estaduais e federais integrantes do GGIMPOA: Ministério Público do Estado (MP), Receita Estadual, Polícia Federal (PF), Receita Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Tribunal de Justiça do Estado (TJ), Justiça Federal no Estado, Ministério Público Federal (MPF) e Forças Armadas, bem como com representações da sociedade organizada.

O GGIMPOA, coordenado pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública e da Administração Penitenciária, Ranolfo Vieira Júnior, integra o eixo de combate ao crime do RS SEGURO, um dos quatro pilares do planejamento, elaborado de forma transversal e estruturante, para contemplar as necessidades de diversas áreas do governo que têm impacto na Segurança Pública, como Educação e Saúde.

Criado por decreto do governo do Estado, o GGIMPOA é um órgão deliberativo, consultivo e executivo, que opera por consenso, sem hierarquia, respeitando a autonomia das instituições que o compõem. O objetivo principal do Gabinete é promover a integração entre órgãos estaduais de Segurança Pública com forças federais e municipais, de forma a ampliar a segurança da população e diminuir os índices de criminalidade da Região Metropolitana.

Secretaria da Segurança Pública