Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Em parceria com Judiciário, Polícia Civil implanta inquérito eletrônico para casos de violência doméstica em POA e Santa Maria

Modelo eletrônico será executado de forma experimental até 31 de julho

Publicação:

Projeto piloto ocorre nas Deams de POA e de Santa Maria
Projeto piloto ocorre nas Deams de POA e de Santa Maria - Foto: Divulgação/Polícia Civil

Inquéritos envolvendo crimes de violência doméstica, ocorridos em Porto Alegre e Santa Maria, podem ser remetidos de forma eletrônica ao Judiciário desde a última segunda-feira (15/06). A transmissão das peças que integram o IP ocorre em tempo real pela internet, por meio do Portal Eproc (sistema de processo eletrônico, desenvolvido e cedido pelo Tribunal Regional Federal da 4a Região). Esta é mais uma iniciativa para acelerar o atendimento as mulheres vítimas, possíbilitando que elas saiam do ciclo de violência.

O Departamento de Tecnologia da Informação Policial (DTIP) que é o responsável pela implantação do sistema que vai abolir parte dos inquéritos de papel nas Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) dessas cidades, explica que o modelo funcionará de forma experimental até o dia 31 de julho. Segundo a Diretora da Divisão de Sistemas do DTIP, delegada Viviane Francisco Pinto, este período inicial servirá para analisar o funcionamento do novo modelo, assim como o cadastramento de usuários, treinamento de equipe, forma de envio e documentação.
Nesse primeiro momento, os fatos criminais não envolverão feminicídio, uma vez que a integração será feita com o sistema eletrônico da 1a e 2a Vara Especializada de Violência Doméstica de Porto Alegre e da Vara Especializada de Violência Doméstica em Santa Maria - o que não inclui o Tribunal do Júri, responsável pelo julgamento de crimes dolosos contra a vida.

Para a Coordenadora das Deams, delegada Tatiana Barreira Bastos, o sistema 100% digital inova ao celerizar e ampliar a proteção às mulheres vítimas de violência doméstica, "pois não só os procedimentos serão remetidos automaticamente, como os pedidos para medidas protetivas de urgência e representações para mandados de busca e apreensão e de prisão". Além de tornar a remessa de procedimentos mais ágil, o sistema contribui para diminuição de gastos com papel, tinta de impressora e combustível. A previsão é de que em 2021 toda a Polícia Civil passe a remeter seus inquéritos de forma eletrônica.

CV1

Secretaria da Segurança Pública