Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

IGP aumenta atendimentos nos primeiros 30 dias da Operação RS Verão Total 2022/2023

Emissão de carteiras de identidade chegou a 94% de aumento em relação ao ano passado

Publicação:

A foto mostra o atendimento do  IGP em Tramandaí
Aumento nos atendimentos está relacionado à flexibilização das restrições impostas pela pandemia. - Foto: Ascom/IGP

Os primeiros 30 dias da Operação RS Verão Total, iniciada em 17 de dezembro de 2022, registraram aumento de 84,6% nos atendimentos do IGP em relação à operação passada, ocorrida entre 2021 e 2022. O serviço com maior aumento foi a emissão de carteiras de identidade, que teve alta de 94%.

Atendimentos relacionados a crimes e acidentes também aumentaram: as necropsias tiveram alta de 82,6% e os atendimentos a locais de morte violenta, de 75%. Perícias criminais, papiloscópicas, médico-legais e de lesões corporais também registraram aumento.

Essa elevação no número de atendimentos já era esperada por conta da flexibilização das restrições impostas pela pandemia de Covid-19 nos verões anteriores. “A população gaúcha, durante o período do verão, migra em massa para as principais praias do litoral do Rio Grande do Sul e com isso suas necessidades e problemas os acompanham, gerando maior demanda em nossos serviços”, explica o coordenador da Operação RS Verão Total no IGP, Silvio Garcia.

Reforços no efetivo - 84 servidores do IGP estão presentes no Posto Médico-Legal de Osório e no Posto de Criminalística de Capão da Canoa para reforçar o atendimento de ocorrências no Litoral Norte e Sul até o final da Operação RS Verão Total, em 31 de março.
O efetivo conta com peritos criminais e médico-legistas, papiloscopistas, técnicos em perícias e fotógrafos criminalísticos, abrangendo todas as áreas de atuação do Instituto.

Trabalho conjunto auxilia na elucidação de acidente de trânsito - peritos criminais e médico-legistas, papiloscopistas e fotógrafos criminais atuando na Operação RS Verão Total usaram a expertise em suas respectivas áreas para identificar uma vítima de acidente de trânsito e o carro envolvido na ocorrência. Ao atender o local do fato, inicialmente registrado como encontro de cadáver, a perita criminal Carla Cristina Corrêa encontrou evidências de que se tratava de um acidente de trânsito. Com o corpo da vítima já no Posto Médico-Legal de Osório, foi feito exame de necropsia e coleta de impressões digitais, analisadas então por um papiloscopista no posto de identificação da mesma cidade. A placa do carro, encontrada em um matagal próximo ao corpo, foi encaminhada à Polícia Civil, que identificou e recolheu o veículo, enquanto amostras de tinta e material genético foram remetidas ao Departamento de Perícias Laboratoriais de IGP, que trabalha no caso.

Texto: Tábata Kolling/ Estagiária
Edição: Anelize Sampaio/ Ascom SSP

Secretaria da Segurança Pública