Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Programa Anjos da BM promove seminário sobre abordagem humanizada a tentativas de suicídio

Publicação:

Card do seminário Abordagem humanizada a tentativas de suicídio do Programa Anjos, com foto do major Diógenes Munhoz, do Corpo de Bombeiros paulista, e a informação de serviço: Dia 20 de novembro, às 20h, com transmissão online pelo Cisco Webex.
Palestra ministrada por oficial do Corpo de Bombeiros paulista, idealizador de curso sobre a temática, terá transmissão online - Foto: Divulgação/BM

Nesta sexta-feira (20/11), às 20h, será realizado o seminário “Abordagem Humanizada a tentativas de suicídio”. O evento, que integra a programação do Programa Anjos, da Brigada Militar, trará orientações de como abordar alguém que manifesta a intenção de tirar a própria vida. A palestra será transmitida através da plataforma online Cisco Webex. O convidado para ministrar o seminário é o Major Diógenes Martins Munhoz, oficial do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

Formado pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco, bacharel em Direito e Engenheiro Civil, o major é instrutor da Escola Superior de Bombeiros desde 2003. Além disso, é idealizador e instrutor do Curso de Abordagem Técnica a Tentativas de Suicídio. 

A palestra integra as diversas atividades realizadas pelo Programa Anjos para difundir entre a tropa da BM a importância dos cuidados com a saúde mental. Elaborado em conjunto pelo Comando-Geral, pelo Departamento de Saúde e pelo Departamento de Ensino da BM, o programa visa quebrar o paradigma da habitual transmissão de informações de forma vertical, por meio de seminários promovidos pelos médicos psiquiatras do Quadro de Oficiais Especialistas em Saúde (QOES) da corporação e psicólogos contratados. A ideia é difundir as informações básicas adequadas de uma maneira mais direta ao público brigadiano.

Dentro do programa, foi criado um curso que tem como objetivo principal a capacitação de militares estaduais voluntários, que irão servir como facilitadores junto à tropa, auxiliando na identificação precoce e encaminhamento dos casos de adoecimento mental que necessitam de avaliação especializada, em especial situações envolvendo risco de suicídio. É importante salientar que não espera-se que o voluntário faça intervenções terapêuticas, e, sim, sirva de facilitador para que o indivíduo chegue ao serviço especializado.

Clique aqui para assistir à palestra do major Diógenes Martins Munhoz. 

Texto: Ascom BM
Edição: Carlos Ismael Moreira/SSP

Secretaria da Segurança Pública