Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Exposição Margaridas retrata mulheres vítimas de violência

Publicação:

Bins Ely, Cláudia Araújo e Nadine Anflor na abertura da exposição nesta segunda-feira
Bins Ely, Cláudia Araújo e a Chefe Nadine Anflor na abertura da exposição nesta segunda-feira - Foto: Ederson Nunes/CMPA

Na tarde desta segunda-feira (22/11), foi inaugurada na Câmara Municipal de Porto Alegre a exposição Margaridas, que retrata mulheres que foram vítimas de violência. O evento é uma realização do Legislativo da Capital, através da Procuradoria Especial da Mulher, em parceria com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul. A iniciativa é da procuradora especial da Mulher, vereadora Cláudia Araújo. 

Os painéis, com imagens de mulheres que foram atendidas e acolhidas pela Polícia Civil, estão expostos no saguão de entrada da Câmara, na avenida Loureiro da Silva 255, no andar térreo. A visitação pública, seguindo os protocolos sanitários, vai até 10 de dezembro, das 9 às 18 horas. A proposta da exposição é conscientizar as pessoas, especialmente as mulheres, a procurarem ajuda quando presenciarem ou sofrerem qualquer tipo de agressão. A expressão “Margaridas”, como explica a delegada titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Porto Alegre (Deam), Jeiselaure Rocha de Souza, “refere-se à Sala das Margaridas, como são chamados os espaços especializados de acolhimento às mulheres vítimas de violência, instalados nas Delegacias de Atendimento à Mulher”.

Exposição na Câmara
Mostra retrata mulheres vítimas de violência que denunciaram seus agressores - Foto: Ederson Nunes/CMPA

A ação faz parte das ações desenvolvidas no terceiro eixo do programa de enfrentamento à violência doméstica da PC/RS, o programa "Polícia Civil por Elas" e tem o objetivo de promover, por meio da fotografia, o resgate da autoestima e o empoderamento de mulheres que se encontram fragilizadas em decorrência de atos de violência sofridas no âmbito doméstico familiar.

As participantes foram selecionadas pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher e clicadas pelas lentes do fotógrafo Leonardo Contursi, após passarem por procedimentos de maquiagem, penteados e após um coquetel durante o qual puderam trocar experiências e contar suas histórias de superação e rompimento do ciclo de violência.

Para o presidente do Legislativo, vereador Márcio Bins Ely, a exposição “é uma forma de reconhecimento e respeito que todos devemos ter em relação às mulheres. Agredir é um ato de covardia e esta ação é um alerta, como um grito de socorro, na busca de proteção e serve para dar visibilidade ao combate à violência”. Durante a abertura da exposição, foram relatados casos de violência doméstica, física, psicológica, moral, patrimonial, e ressaltada a importância da denúncia para que as agressões possam ser registradas e combatidas.

Chefe da polícia Nadine Farias Anflor no evento.
O evento é uma realização do Legislativo da Capital, através da Procuradoria Especial da Mulher, em parceria com a PC - Foto: Ederson Nunes/CMPA

Cláudia Araújo disse que a exposição é “para que as mulheres tenham coragem de denunciarem seus agressores e tentar reduzir os casos de feminicídio”. A chefe da Polícia Civil do Estado, delegada Nadine Anflor, saudou “a todas as mulheres que romperam o silêncio, o medo e a vergonha, mostrando a outras mulheres que há vida após a denúncia”. As imagens da exposição foram captadas voluntariamente pelo fotógrafo Leo Contursi.

Também estiveram presentes a vice-procuradora especial da Mulher da Câmara, vereadora Daiana Santos, os vereadores Jessé Sangalli e Leonel Radde, a procuradora Especial da Mulher da Assembleia Legislativa, deputada Franciane Bayer; delegadas da Polícia Civil, representantes de entidades ligadas ao acolhimento de mulheres e do Ministério Público e o ex-prefeito José Fortunati.

Texto: Glei Soares/CMPA
Edição: Ascom/SSP
Secretaria da Segurança Pública